Bom dia, boa tarde, boa noite, ou seja lá a hora que você estiver lendo isso :)

Famosas que sofreram abuso sexual e falaram sobre o tema

Vítimas de abuso sexual: famosas que falaram abertamente sobre isso

Rosiane Pinheiro, Giselle Itié, e mais famosas que sofreram abuso sexual revelaram publicamente sobre suas experiências como forma de alertar outras mulheres. Confira!

publicidade

publicidade

Vítimas de abuso sexual: famosas que falaram abertamente sobre isso

Rosiane Pinheiro, Giselle Itié, e mais famosas que sofreram abuso sexual revelaram publicamente sobre suas experiências como forma de alertar outras mulheres. Confira!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Famosas que sofreram abuso sexual e falaram sobre o tema

publicidade

publicidade

O abuso sexual pode estar presente em uma relação desde o início. Muitas vezes, há evidências tangíveis de violência, mas também podem envolver violência psicológica, jogos mentais sofisticados e tóxicos, nem sempre visíveis. Com isso, causam danos à liberdade, privacidade, intimidade, autoestima e corpo de uma outra pessoa. E não só as mulheres anônimas passam por isso. Famosas vítimas de abuso sexual também já falaram a respeito nas redes sociais.

Reunimos atrizes, cantoras e celebridades que sofreram abuso sexual e compartilharam como forma de alertar outras mulheres. Acompanhe!

Rosiane Pinheiro revelou ter sido vítima de abuso sexual

Quem viveu os anos 90 sabe quem é Rosiane Pinheiro. Afinal, todo mundo conhecia a ex-dançarina do grupo Gang do Samba, que viveu seu auge junto com outras mulheres consideradas musas, como Carla Perez e Scheila Carvalho.

O que ninguém sabia é que a dançarina foi vítima de abusos sexuais da infância à adolescência e que perdeu a virgindade após ter sido dopada. Entre as revelações recentes também feitas no podcast PodZé, Rosiane disse ainda que sofreu com depressão quando ainda era integrante do grupo baiano. Por fim, também citou racismo por não ter tido as mesmas oportunidades que outras dançarinas na época.

Giselle Itié perdeu a virgindade após ser vítima de abuso sexual

Giselle Itié também é uma das famosas que já foi vítima de abuso sexual. Em 2017, em entrevista para a revista ela revelou para a revista Glamour ter sido estuprada pelo “último homem que poderia imaginar”: “Acordei. Olhei para o lado e lá estava ele, dormindo. Olhei melhor e o vi nu. Susto. Me olhei. Nua. O chão forrado de garrafas vazias. Eu forrada de amnésia. Foi difícil sentar. Então vi o que eu já imaginava. Perdi a virgindade”, contou.

No fim de fevereiro deste ano, a atriz fez uma postagem criticando a sexualização do corpo feminino ao ter uma foto de biquíni denunciada no Instagram. “Vocês que perdem tempo em denunciar a imagem de uma mulher com biquíni de mamilos. Vocês estão passando bem? O que estão fazendo com o tempo de vocês?! Por que vocês sexualizam e objetificam tanto o corpo da mulher?”.

Ellen Rocche sofreu abuso sexual em transporte público

Em entrevista no “Encontro com Fátima Bernardes”, Ellen Rocche contou que também já foi vítima de abuso sexual e assédio algumas vezes, especialmente utilizando o transporte público. “No ônibus, essa história do cara começar a chegar e se esfregar… Eu mudava de lugar. Encarava e o cara ficava constrangido”, disse.

Fernanda Young foi estuprada por ex-namorado aos 16 anos

Fernanda Young disse que um ex-namorado a violentou quando ela tinha16 anos. A apresentadora, que faleceu aos 49 anos, disse ter demorado a entender que o caso se tratava de um estupro e que era vítima de abuso sexual.

“Ele começou a forçar a barra, eu disse que não queria e ele amarrou meus pulsos. Fez sexo comigo dessa maneira. Não sabia para quem contar, tinha vergonha. Achava que a culpa era minha por ter amado essa pessoa. Só percebi que tinha sido estuprada vendo uma cena semelhante em uma série anos depois”, disse à revista “Marie Claire”.

Xuxa Meneghel contou que sofreu abuso sexual aos 13 anos

Durante uma entrevista ao “Fantástico”, Xuxa Meneghel revelou que sofreu abuso sexual aos 13 anos.

“Nós achamos que somos culpados. Eu sempre achei que eu estava fazendo alguma coisa: ou era minha roupa ou era o que eu fazia que chamava a atenção. Então, ao invés de falar para as pessoas, eu tinha vergonha, me calava, me sentia mal, me sentia suja, me sentia errada. E se eu não tivesse uma mãe, se eu não tivesse o amor da minha mãe, eu teria ido embora, porque o medo de você ter aquelas sensações de novo, passar por tudo isso, é muito grande. Só que eu não falei para minha mãe, eu não tinha essa coragem de falar com ela. E a maioria das crianças, dos adolescentes, passa por isso”, relatou.

Lady Gaga falou sobre abuso sexual em pleno Oscar

Durante a premiação do Oscar, em 2016, Lady Gaga falou e alertou sobre o tema. A estrela do pop subiu ao palco com vítimas de abuso sexual e postou em seu perfil no Instagram: “Obrigado por ficarem atrás de mim no palco. Obrigado por tudo que vocês disseram, por ouvirem a minha história e dividirem a de vocês. Eu nunca vou esquecer. Cinquenta sobreviventes, tão corajosos, com uma determinação implacável”.

Além disso, na mesma época, a cantora também compôs a música “Til It Happens To You”, juntamente com Diane Warren, para o documentário “The Hunting Ground”, sobre jovens que sofreram violência sexual em campos de universidades dos Estados Unidos.

Em maio deste ano, em depoimento à série documental “The Me You Can’t See”, a cantora revelou ter sido vítima de violência sexual por um produtor no início da carreira e que chegou a engravidar do agressor. “Tive um surto psicótico total e, por alguns anos, não fui a mesma garota. Já fiz muitas ressonâncias magnéticas e exames que não encontraram nada. Mas seu corpo se lembra”, lamentou. Lady Gaga afirmou que usou esses gatilhos passados para atuar em “House of Gucci”.

Denuncie a violência contra a mulher pelo 180!

Diante de tantos casos, nem sempre sabemos o que fazer e como agir ao passar por essas situações. No entanto, existem canais e locais específicos que você pode contar, se for vítima de abuso sexual ou qualquer outro tipo de violência. O Ligue 180, por exemplo, é um serviço de utilidade pública essencial para o enfrentamento à violência contra a mulher.

Além de receber denúncias de violações contra as mulheres, a central encaminha o conteúdo dos relatos aos órgãos competentes e monitora o andamento dos processos. Por isso, denuncie!

Foto de capa: Reprodução Instagram / @rosianepinheiro

CURTIU? COMPARTILHE AQUI

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Redação Alexandrismos

Redação Alexandrismos

Somos uma equipe de profissionais e colaboradores empenhados em transformar através da informação e da diversidade. Enquanto veículo, queremos construir uma nova forma de dialogar na internet sobre #CorpoLivre.

publicidade