Bom dia, boa tarde, boa noite, ou seja lá a hora que você estiver lendo isso :)

Maquiagem e autoestima

Maquiagem e autoestima: 4 momentos em que a make pode te ajudar

A maquiagem é mais do que uma batom vermelho ou um delineado gatinho. Ela também pode ajudar a levantar a autoestima. Confira!

publicidade

publicidade

Maquiagem e autoestima: 4 momentos em que a make pode te ajudar

A maquiagem é mais do que uma batom vermelho ou um delineado gatinho. Ela também pode ajudar a levantar a autoestima. Confira!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Maquiagem e autoestima

publicidade

publicidade

A maquiagem pode e deve ser usada a favor da autoestima, valorizando a sua beleza e realçando todos os seus pontos fortes. Além disso, também é uma delícia testar novos cosméticos, cores e tendências. O alerta é quando a maquiagem é usada somente com o intuito de esconder possíveis “imperfeições”, transformando as manchas, texturas e características da sua pele natural em vilãs

Nesse caso, é importante repensar a relação com a maquiagem. Isso porque a ferramenta pode contribuir bastante para influenciar na autoaceitação e dar mais confiança no dia a dia. Confira 4 momentos em que a maquiagem ajuda a aumentar e fortalecer a autoestima!

1) Quando a maquiagem você realça e valoriza os traços do rosto

Não existe corretivo no mundo que dê conta de uma noite mal dormida ou um produto que vá afinar o seu nariz e deixar a sua maçã do rosto mais sobressalente. Na verdade, até pode existir, mas a maquiagem pode ser usada de uma forma mais positiva, realçando e valorizando os traços do seu rosto sem ter que esconder uma característica que é só sua. 

Está tudo bem usar os cosméticos para disfarçar aquela espinha que surgiu no dia da festa ou minimizar alguma mancha na pele, mas maquiagem boa é aquela que te ajuda a se sentir bem, sem que você precise ser dependente dela. 

2) Quando te permite ousar em cores e texturas

Outro momento em que a maquiagem ajuda no resgate e no aumento da autoestima é quando ela te permite ousar nas suas escolhas de beleza. Não precisa sair por aí com uma sombra amarela e um batom azul, por exemplo, se não quiser. Mas se você estiver a fim de experimentar e se sente bonita dessa forma, por que não? Da mesma maneira, você não precisa ficar presa aos tons de nude se não faz o seu estilo. 

Quem nunca se achou poderosa ao usar batom vermelho ou fazer aquele delineado gatinho bem marcado? Isso vale para todas as cores e texturas que decidir usar e, assim, a maquiagem se torna aliada, não um fator limitante. 

3) Quando a maquiagem se transforma em autoestima, expressão e inclusão

Para quem faz parte das minorias sociais, a maquiagem pode se tornar uma forma de estar no mundo. Isso acontece, muitas vezes, com mulheres trans, que encontram na maquiagem os recursos necessários para se sentirem mais conectadas consigo mesmas e com a identidade feminina. 

Nikkie de Jager, mais conhecida como NikkieTutorials, é uma das que reforçam esse argumento. Em entrevista à Glamour britânica, a youtuber e uma das maiores influencers de maquiagem do mundo – que revelou ser uma mulher trans em 2020 – disse que as críticas foram a sua inspiração para o vídeo “O Poder da Maquiagem”, que viralizou em 2015. “A única coisa que eu acredito é que a maquiagem não é para a sociedade, é para você. É para te fazer se sentir bem com você mesma e qualquer um que queira te colocar para baixo por causa disso tem mais problemas do que você”, disse à publicação.  

Isso também acontece com drag queens. Toda a montação feita com muito brilho e cores variadas são maneiras de usar a maquiagem para expressar arte e essência. Pabllo Vittar disse, em um tutorial de make para a Vogue, que, apesar de se arrumar para cantar em bares da cidade, nunca tinha se visto como uma drag queen, até seu aniversário de 18 anos: “Quando eu me montei mesmo de drag pela primeira vez, com minhas amigas, foi surreal”. Por isso, a maquiagem contribui para a autoestima quando ela também é uma possibilidade de inclusão, seja para quem for. 

4) Quando a maquiagem resgata a autoestima e vai além das condições externas

Doenças de pele como vitiligo e psoríase, entre outras, deixam marcas na pele que podem impactar diretamente na autoestima. Da mesma forma, alguém que teve câncer ou desenvolveu alguma condição que interfere na aparência também pode ter problemas com a própria imagem.

Nesse processo de resgate da autoestima, a maquiagem contribui também para resgatar a autoconfiança. Usar pela primeira vez ou voltar a usar um item de make para se sentir mais bonita pode valorizar o que você tem de melhor, tanto externa quanto internamente. 

Estar feliz e sentir bonita na própria pele é uma construção diária e, por isso, é importante trabalhar a autoestima. Não é um batom que vai curar traumas e te dar mais autoconfiança, mas ele pode facilitar esse processo. Quando a maquiagem contribui para te fortalecer, você só ganha com isso! 

Foto de capa: Pexels

CURTIU? COMPARTILHE AQUI

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Redação Alexandrismos

Redação Alexandrismos

Somos uma equipe de profissionais e colaboradores empenhados em transformar através da informação e da diversidade. Enquanto veículo, queremos construir uma nova forma de dialogar na internet sobre #CorpoLivre.

publicidade