Bom dia, boa tarde, boa noite, ou seja lá a hora que você estiver lendo isso :)

“Doutor Bumbum”: médico celebridade tem registro profissional cassado

“Doutor Bumbum” tem registro profissional cassado. Relembre caso!

Conhecido como "Doutor Bumbum", Denis César Barros Furtado teve registro profissional cassado por exercício ilegal da profissão, propaganda enganosa e recusa em fornecer prontuários aos pacientes. Relembre casos!

publicidade

publicidade

“Doutor Bumbum” tem registro profissional cassado. Relembre caso!

Conhecido como "Doutor Bumbum", Denis César Barros Furtado teve registro profissional cassado por exercício ilegal da profissão, propaganda enganosa e recusa em fornecer prontuários aos pacientes. Relembre casos!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
“Doutor Bumbum”: médico celebridade tem registro profissional cassado

publicidade

publicidade

Denis César Barros Furtado, conhecido nacionalmente como “Doutor Bumbum”, teve seu registro profissional cassado pelo Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF). A decisão, publicada no Diário Oficial do Estado, alega exercício ilegal da profissão, propaganda enganosa e recusa em fornecer prontuários devidos aos pacientes. Além disso, sua mãe, Maria de Fátima Barros Furtado, também perdeu o direito de exercer a medicina.

A Polícia Civil do Distrito Federal afirma que há dezenas de ocorrências registradas contra Denis César Barros Furtado entre 2011 e 2018. Isso apenas na capital do país. De acordo com as denúncias, o “Doutor Bumbum” se apresentava como um médico com especialidade em bioplastia, técnica de modelagem corporal e facial usando implantes biológicos ou sintéticos.

Indiciado em seis inquéritos policiais, o “Doutor Bumbum” foi réu por homicídio doloso qualificado no processo que apura a morte da bancária Lilian Calixto durante procedimento estético.

“Doutor Bumbum” aplicou PMMA em Lilian Calixto em cobertura no Rio

Lilian Calixto planejou por quatro meses até decidir passar pelos procedimentos estéticos. Em julho de 2018, a mato-grossense viajou ao Rio de Janeiro e disse à família que faria uma implantação do chip para controle hormonal, em razão da menopausa. Além disso, disse que voltaria para a capital no mesmo dia.

No entanto, a bancária passou por uma cirurgia de aplicação de PMMA (polimetilmetacrilato) nos glúteos, aos 46 anos, e faleceu após o procedimento, em uma cobertura na Barra da Tijuca, zona oeste carioca. Os familiares da vítima afirmam que não sabiam que ela faria um implante nas nádegas.

De acordo com informações da “BBC”, o “Doutor Bumbum” teria marcado as intervenções através do WhatsApp. Familiares acreditam que Lilian encaminhou fotos de seu corpo para que a avaliação e o orçamento dos procedimentos fossem feitos. De acordo com eles, sem saber se ela pagou o valor integral, as intervenções teriam custado R$ 20 mil.

Especialista alerta risco de aplicação do PMMA em glúteos

Segundo Denis Calazans, secretário-geral da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a aplicação de PMMA não é indicada na área do corpo feita em Lilian Calixto e nem para fins estéticos desde 2006.

“É um produto sintético que, muito embora autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, não é recomendado pela SBCP, sobretudo em áreas com grande volume e em planos anatômicos profundos, como os glúteos”.

Lilian Calixto morreu horas depois de passar pela intervenção estética feita por “Doutor Bumbum”. A suspeita é que a aplicação do produto tenha sido feita em excesso. Assim, gerou uma embolia pulmonar, quando uma ou mais artérias pulmonares ficam bloqueadas por um coágulo sanguíneo.

Vale a pena por a vida em risco em nome da beleza?

Antes de decidir passar por uma intervenção estética, é muito importante refletir se vale por a vida em risco em nome da beleza. No caso da aplicação da substância PMMA, trata-se de um produto que o corpo humano não é capaz de absorver e, por isso, torna o procedimento tão arriscado.  

Em 2014, a modelo Andressa Urach sofreu uma infecção e ficou internada em estado grave por vários meses após aplicar o PMMA nos glúteos. Por isso, o cirurgião plástico Cesar Daher, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica(SBCP), alertou sobre os riscos:

“O que torna o PMMA perigoso é a capacidade de, a longo prazo, gerar uma reação de corpo estranho que não pode ser controlável. Esse é o principal motivo pela qual o produto foi praticamente abandonado pela dermatologia e cirurgia plástica para procedimentos de preenchimentos, pois as complicações são muito graves”.

Por fim, vale ressaltar que qualquer procedimento estético deve ser feito em clínica ou hospital, com profissionais capacitados e assistência devida.

Foto de capa: Unsplash

CURTIU? COMPARTILHE AQUI

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Redação Alexandrismos

Redação Alexandrismos

Somos uma equipe de profissionais e colaboradores empenhados em transformar através da informação e da diversidade. Enquanto veículo, queremos construir uma nova forma de dialogar na internet sobre #CorpoLivre.

publicidade