Bom dia, boa tarde, boa noite, ou seja lá a hora que você estiver lendo isso :)

Mulheres negras inspiradoras: confira a lista!

Mulheres negras inspiradoras: 6 exemplos de liderança e empoderamento

O racismo expõe a diferença de oportunidade para negros e brancos. No entanto, não faltam mulheres pretas inspiradoras para mudar esses dados!

publicidade

publicidade

Mulheres negras inspiradoras: 6 exemplos de liderança e empoderamento

O racismo expõe a diferença de oportunidade para negros e brancos. No entanto, não faltam mulheres pretas inspiradoras para mudar esses dados!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Mulheres negras inspiradoras: confira a lista!

publicidade

publicidade

De acordo com dados do IBGE, 54% da população do Brasil é negra. No entanto, as oportunidades para brancos e negros são diferentes, consequência do racismo e das desigualdades sociais. Quando se trata de mulheres negras, o cenário é ainda mais complexo. Já em 2016, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada apontou que mulheres brancas ganham 70% a mais que mulheres negras. Isso expõe a disparidade racial e econômica também associada ao gênero. Apesar dos dados, existe um monte de mulheres negras e inspiradoras por aí.

São mulheres pretas, poderosas e empoderadas, fazendo a diferença e reivindicando o seu espaço por direito. Por isso, veja 6 mulheres negras que são exemplos de liderança tanto no Brasil quanto no mundo e se inspire!

1) Rihanna: a cantora é referência de mulher negra, inspiradora e poderosa!

O último álbum da cantora foi lançado em 2016, mas Rihanna não é uma inspiração só na música. Com a marca própria Fenty, ela balançou todas as estruturas da moda e da beleza. Assim, lançou peças de roupas, produtos de skincare e maquiagem que contemplam diferentes tipos de corpos e pele.

Sua linha de lingerie também impactou o mercado com a proposta de trazer mais inclusão e representatividade a um nicho tão restrito. Tem mais: Rihanna é ativista dedicada e usa sua influência em prol das causas filantrópicas e humanitárias. 

2) Azede Jean-Pierre: a estilista trouxe novo olhar e originalidade para a moda

Azede Jean-Pierre já mostra seu poder só de estar entre as favoritas de Michelle Obama e Solange Knowles. Mas a designer de moda haitiana trouxe um frescor e uma nova roupagem para o universo fashion. Assim, entrou na lista das pessoas mais influentes com menos de 30 anos da Forbes, em 2016.

Além disso, a estilista, que é ex-refugiada, faz questão de valorizar a diversidade e destacar a experiência de ser uma imigrante negra, criando roupas que fogem totalmente do óbvio. 

3) Alexandra Baldeh Loras: inspiração para mulheres negras na política

A ex-consulesa da França no Brasil Alexandra Baldeh Loras é inspiradora não só por sua trajetória profissional, mas ainda por sua história de vida. Isso porque a francesa, que tem descendência africana, cresceu na periferia de Paris. Com isso, teve que lidar com o racismo até mesmo na própria família para ingressar na faculdade de jornalismo.

Desde então, Alexandra se tornou uma das vozes mais influentes na luta contra o racismo e no desenvolvimento de lideranças femininas dentro e fora de ambientes corporativos. 

4) Meghan Markle: coragem para combater preconceitos raciais na família real

Antes de entrar para a família real britânica, Meghan Markle tinha uma carreira bem sucedida como atriz e ainda lançou duas linhas de roupas entre 2015 e 2016. Seu casamento com o príncipe Harry deu um novo rumo à vida profissional, já que abriu mão do entretenimento para se dedicar aos compromissos da realeza.

No entanto, o que parecia um conto de fadas trouxe à tona discriminações raciais expostas pela própria Meghan em entrevista corajosa à Oprah Winfrey. Por isso, ela abriu mão dos títulos da família real e, junto com o marido, abriu uma organização para atividades sem fins lucrativos e empreendimentos de mídia criativa. 

5) Rachel Maia: executiva negra e inspiradora ajuda na capacitação de outras mulheres

No Brasil, o nome de Rachel Maia é um dos primeiros da lista quando se fala de liderança feminina e mercado de luxo. Como CEO da Tiffany & Co, Pandora e Lacoste em território nacional, entrou para o seleto grupo de executivas negras nas maiores organizações do país e decidiu transformar sua trajetória em exemplo para que outras também alcancem seus objetivos. Rachel lançou a própria empresa de consultoria e se dedica à capacitação de mulheres e jovens da periferia. 

6) Nina Silva: afroempreendedora quer mudar realidade financeira de mulheres negras

Sabe o dado do Ipea que mostra a diferença salarial entre mulheres negras e brancas? A executiva Nina Silva é uma das pioneiras que lutam para reverter esse quadro. A executiva de tecnologia da informação é também a fundadora do Movimento Black Money, com iniciativas de educação, entretenimento e inclusão financeira da população negra.

Seu trabalho em prol do afroempreendedorismo levou o nome para a lista das mulheres mais poderosas do Brasil, da revista Forbes. Além disso, Nina também foi considerada uma das 100 personalidades afrodescendentes mais influentes com menos de 40 anos de idade pela Most Influential People of Africa Descent, parceira da Organização das Nações Unidas (ONU).

No entanto, essa lista é só uma pequena representação da potência dessas mulheres negras inspiradoras, que atuam ativamente para as mudanças estruturais e econômicas da sociedade. Que essas mulheres, junto com tantas outras, abram os caminhos para que outras possam alcançar o mesmo patamar.

Foto de capa: Reprodução Instagram / @ninasilvaperfil

CURTIU? COMPARTILHE AQUI

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Redação Alexandrismos

Redação Alexandrismos

Somos uma equipe de profissionais e colaboradores empenhados em transformar através da informação e da diversidade. Enquanto veículo, queremos construir uma nova forma de dialogar na internet sobre #CorpoLivre.

publicidade