Bom dia, boa tarde, boa noite, ou seja lá a hora que você estiver lendo isso :)

Dicas para evitar a gordofobia

Evitar a gordofobia: 10 dicas para não ser gordofóbico

Todo corpo merece respeito, mas como reaprender a se comunicar melhor sem ser preconceituoso?

publicidade

publicidade

Evitar a gordofobia: 10 dicas para não ser gordofóbico

Todo corpo merece respeito, mas como reaprender a se comunicar melhor sem ser preconceituoso?
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Dicas para evitar a gordofobia

publicidade

publicidade

Sabe todos os estereótipos sobre corpos gordos que você aprendeu ao longo dos anos? Está na hora de deixar tudo de lado e começar a entender que eles fazem parte de um processo de desumanização dessas pessoas chamado gordofobia. Para começar, o termo é um preconceito sistêmico e estrutural que marginaliza e estigmatiza pessoas gordas. Mas dá para evitar a gordofobia?

Todo corpo merece respeito e exercer seus direitos de ir e vir. Mas como reaprender a se comunicar melhor sem ser preconceituoso? Por isso, preparamos uma lista com 10 maneiras de como parar de ser gordofóbico. E ainda vai melhorar a sua relação com o corpo alheio e com o seu próprio. Bora conferir?

1) Não ache que pessoas gordas são assim porque fazem “gordice”

O corpo alheio está fora do seu domínio. Sendo assim, estabelecer que ele é assim, do jeito que é, com base em informações que você não tem, não é nada legal. Falar que a pessoa gorda é gorda porque come muito fast food, por exemplo, é uma suposição baseada em apenas um estereótipo. 

Além disso, é bem desrespeitoso! Portanto, um corpo gordo não é gordo porque come demais e é descontrolado. Existem diversos fatores que influenciam nessa estética e nessa estrutura física e isso não é pauta para julgamento.

2) Não comente sobre o corpo dos outros

Sabe quando de repente surge um assunto sobre corpo e rapidamente alguém vira pauta? A famosa que fez lipo, o cantor que mudou o rosto com harmonização facial, ou aquela colega que engordou e emagreceu… É tão normal comentar a aparência alheia que isso se naturalizou na nossa comunicação, o famoso body shaming. Mas vamos te contar: não é nada produtivo. 

Isso porque esses constantes comentários institucionalizam uma cultura tóxica de perfeição. Em suma, evite falar do corpo dos outros para não incentivar insatisfações, distúrbios alimentares e de imagem.

3) Para evitar a gordofobia você precisa entender que nem toda pessoa gorda quer emagrecer

Não ofereça ou compartilhe qualquer tipo de dieta, exercício ou solução emagrecedora caso não tenha sido solicitado. Até porque solução milagrosa nem existe. Sendo assim, a pessoa gorda pode não querer perder peso.

Fazer suposições sobre um corpo que não é seu é um hábito que precisa ser evitado. Assim como achar que está ajudando oferecendo dietas, compartilhando histórias de emagrecimento e se colocando em um lugar de salvadora da pátria.

A pessoa gorda tem suas próprias batalhas, processos de autoconhecimento e busca por uma vida saudável. Então, se ela não te pediu uma opinião, conselho ou dica, adivinha? Isso aí! Não ofereça soluções para um problema que você não sabe se ela tem. 

4) Apesar da sua desculpa de preocupação com a saúde, o que incomoda é a aparência

Um corpo gordo incomoda a sociedade. Sua própria existência já é motivo de estranhamento, despertando sentimentos negativos apenas pela sua aparência. Por isso, seja empática e entenda que nos ensinaram a olhar essas pessoas e marginalizá-las. Então essa “preocupação com a saúde” pode ser apenas reflexo de um preconceito mascarado. 

Enfim, ninguém se preocupa com a saúde de quem não conhece. E, se houvesse uma real preocupação, a saúde mental entraria no pacote, não é verdade? Ou seja, evite a hipocrisia ;)

5) Não seja fiscal de prato alheio

O que alguém come ou deixa de comer, como e quanto come não diz respeito a ninguém a não ser a própria pessoa. Ou ao profissional de saúde que a acompanha, caso ela tenha um. Comentários como “nossa, vai comer isso tudo?” ou “só isso, vai ficar doente!” são invasivos. Além disso, podem desencadear gatilhos de distúrbios alimentares. 

Então, se você costuma fazer isso com pessoas da sua família ou amigos próximos como forma de afeto e preocupação, reveja seu comportamento. Que tal demonstrar de outra forma? Para evitar a gordofobia é preciso mudar!

6) Não pressuponha limitações: isso é gordofobia!

Não ache que pessoas gordas não podem ser saudáveis e não conseguem fazer coisas como dançar, transar, ter filhos, praticar yoga e correr uma maratona, por exemplo. Pressupor limitações em corpos gordos é contribuir para o preconceito.

Como alguém pode afirmar algo sobre outra pessoa apenas olhando para ela? Já viu quanta gente gorda está se movimentando, casando, dançando, procriando, vivendo por aí? 

Portanto, não coloque limites com base em pré-julgamentos. Evitar a gordofobia é entender que todo corpo deve sentir que pode realizar o que quiser, sem que o preconceito o limite.

7) Evite expressões e palavras gordofóbicas

Gordice”, “acima do peso”, “bonita de rosto” são exemplos de expressões gordofóbicas. Isso porque criam um juízo de valor negativo em cima de tudo que tem relação com a pessoa gorda. Quando você escuta a palavra gordice, ela te remete ao quê? Comidas ruins pro seu corpo, um comer descontrolado, alimentos que não são saudáveis, né? Isso é constantemente associado ao corpo gordo. Por isso, evite e tire de uma vez do seu vocabulário.

8) Respeite a pessoa gorda para evitar a gordofobia

Respeito é bom e todo mundo gosta, inclusive pessoas gordas! Respeite o ser humano, sua história e a história do corpo dele. Ter empatia é um grande passo em busca de uma relação menos gordofóbica na sociedade. Na real, serve para ser menos preconceituoso em geral!

Empatia faz a gente se colocar no lugar do outro, pensar “e se fosse comigo?”, “e se fosse alguém que eu tenho carinho”? Talvez essas perguntas te ajudem a criar uma relação emocional com o outro para entender como ele se sente. É tão bom quando fazem isso com a gente, né? Então faça também. 

9) Não trate pessoas gordas como doentes, fracassadas ou coitadas

Um corpo gordo não é um combo de estereótipos, muito menos uma bomba relógio. Tratar pessoas assim só fortalece o sentimento de marginalização e inadequação fortalecidos todos esses anos. Já tá na hora de mudar essa mentalidade, né? 

Afinal, se existe uma preocupação com a saúde dessas pessoas, que se leve em conta a saúde mental delas também. Colocar as pessoas pra baixo não ajuda! E outra: diminuir o outro nunca vai te fazer bem, já pensou nisso?

10) Não faça piadas com pessoas gordas. Gordofobia não é piada!

Houve um tempo em que todos riam de piadas com pessoas gordas. E apesar de ainda ter uma leva de “humoristas” que insistem na gordofobia, esse tempo já passou e esse tipo de humor nunca foi engraçado. Mas por que todo mundo ria ou ainda ri? Até mesmo as pessoas gordas? 

Nunca foi engraçado pra elas terem suas vivências diminuídas e ridicularizadas. E às vezes o único mecanismo de defesa que existe é tentar relativizar essas situações como forma de sobrevivência social. Bora combinar que já chega? Tem que ser legal pra geral e, se fere a existência de alguém, é melhor parar. Preconceito nenhum é piada! 

Quer evitar a gordofobia mesmo?

Por fim, se você chegou até aqui, quer mesmo evitar a gordofobia. Então, depois dessa lista você pode avaliar a forma como trata pessoas gordas. E se você for uma pessoa gorda, como anda tratando a história do seu corpo. E aí, vamos melhorar?

Foto de capa: Adobe Stock

CURTIU? COMPARTILHE AQUI

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Redação Alexandrismos

Redação Alexandrismos

Somos uma equipe de profissionais e colaboradores empenhados em transformar através da informação e da diversidade. Enquanto veículo, queremos construir uma nova forma de dialogar na internet sobre #CorpoLivre.

publicidade