Bom dia, boa tarde, boa noite, ou seja lá a hora que você estiver lendo isso :)

Calvície feminina: a condição genética que afeta Juliette e outras famosas

Calvície feminina: condição genética afeta Juliette e mais famosas. Saiba!

Juliette revelou em live que tem alopecia androgenética. A doença, conhecida também como calvície feminina, afeta 5% das mulheres ao redor do mundo. Saiba mais!

publicidade

publicidade

Calvície feminina: condição genética afeta Juliette e mais famosas. Saiba!

Juliette revelou em live que tem alopecia androgenética. A doença, conhecida também como calvície feminina, afeta 5% das mulheres ao redor do mundo. Saiba mais!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Calvície feminina: a condição genética que afeta Juliette e outras famosas

publicidade

publicidade

Você já ouviu falar sobre alopecia androgênica? Recentemente, Juliette Freire apareceu nas redes sociais revelando sofrer da condição genética que pode causar a calvície feminina. Além dela, a modelo Naomi Campbell, a sertaneja Maraisa e mais famosas também lidam com essa disfunção que atinge aproximadamente 5% das mulheres pelo mundo e é capaz de abalar a autoestima.

De acordo com Juliette, a perda progressiva do cabelo começou ainda na infância. “Desde criança, tenho pouquíssimo cabelo nessas áreas aqui. Estou tentando tratar porque faço muito secador e chapinha. Aí quero evitar grandes problemas”, disse.

Para tratar a calvície feminina, a campeã do “Big Brother Brasil 21” recorreu a uma dermatologista de confiança e começou a fazer sessões a laser na região. “Fora essas coisas de tratamento de pele, peeling, todas essas coisas de embelezamento, faço aqui (na parte do couro cabeludo próxima à testa) para estimular crescimento”, explicou.

O que é a alopecia androgênica?

A alopecia androgênica é uma condição genética que acontece em todo o topo da cabeça e também de maneira global, podendo afetar homens e mulheres. Além disso, ela pode se manifestar em qualquer momento da vida e não tem cura. Segundo a dermatologista Sylvia Ypiranga, a calvície feminina costuma acontecer quando a pessoa apresenta um histórico familiar com perda de cabelo, seja do pai ou da mãe.

“Geralmente, as mulheres não costumam ter calvície completa, não ficam carecas como os homens, é muito difícil. Nelas, é algo mais leve e difuso, no topo da cabeça. A alopecia androgenética é difícil de tratar e diagnosticar, e é revelada quando existe um ambiente hormonal determinante: os hormônios masculinos predominam sobre os femininos”, explicou.

Saiba o melhor tratamento para a calvície feminina

A grande maioria dos sintomas podem se manifestar tarde com afinamento e atrofia no topo da cabeça. Segundo especialistas, as entradas ficam fechadas e, por isso, o diagnóstico acaba ficando mais tardio. Assim, quando uma mulher se dá conta da calvície feminina, a doença pode se encontrar em um estado mais avançado. Além disso, a médica pontua que quanto mais cedo iniciar o tratamento, melhor serão os efeitos e seu resultado. Ou seja, o cuidado precoce pode inibir o avanço.

“Se os hormônios da mulher estiveram normais, é possível fazer tratamentos que envolvam medicação, tanto tópica quanto oral, com minoxidil, sempre com acompanhamento médico. Existem outros tratamentos, como a mesoterapia no couro cabeludo, que é a aplicação de injeções com vitaminas. Se a situação for grave e a queda, bastante visível, é possível fazer o implante capilar. É preciso paciência, porque os tratamentos são longos e não é garantido que o organismo responda em todos os casos”, declarou ao “Gshow”.

Vale reforçar que não existe truques de internet e nenhum tratamento pode garantir o fim da calvície feminina, mas pode trazer resultados satisfatórios para deixar seus fios volumosos por mais tempo.

Foto de capa: Reprodução / Instagram @juliette

CURTIU? COMPARTILHE AQUI

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Redação Alexandrismos

Redação Alexandrismos

Somos uma equipe de profissionais e colaboradores empenhados em transformar através da informação e da diversidade. Enquanto veículo, queremos construir uma nova forma de dialogar na internet sobre #CorpoLivre.

publicidade