Bom dia, boa tarde, boa noite, ou seja lá a hora que você estiver lendo isso :)

Anvisa aprova tratamento de HIV com medicamento único

Anvisa aprova tratamento para HIV com único medicamento. Saiba mais!

1º de Dezembro é o Dia Mundial da Luta contra a AIDS e, nesta semana, a Anvisa aprovou novo tratamento para HIV com dose única de medicamento. O que isso significa? Saiba mais!

publicidade

publicidade

Anvisa aprova tratamento para HIV com único medicamento. Saiba mais!

1º de Dezembro é o Dia Mundial da Luta contra a AIDS e, nesta semana, a Anvisa aprovou novo tratamento para HIV com dose única de medicamento. O que isso significa? Saiba mais!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Anvisa aprova tratamento de HIV com medicamento único

publicidade

publicidade

O tratamento de pessoas portadoras de HIV acaba de ter um progresso. No início da semana, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou um novo tratamento que reúne duas substâncias em apenas um único comprimido. Nesta quarta-feira, dia 1º de dezembro, é Dia Mundial de Luta contra a AIDS e é uma novidade animadora para a luta.

“A aprovação representa um avanço no tratamento das pessoas portadoras do vírus que causa a Aids, já que reúne em uma dose diária dois antirretrovirais que não estavam disponíveis em um só comprimido”, afirmou a agência. Ou seja, a possibilidade de doses únicas simplifica o tratamento e a adesão dos pacientes.

Medicamento pode ser prescrito para tratamento completo

De acordo com o portal “G1”, o novo medicamento é uma combinação das substâncias dolutegravir sódico e lamivudina. Assim, ele pode ser prescrito para o tratamento completo da infecção causada pelo vírus em pessoas adultas e até mesmo em adolescentes. No entanto, estes, acima de 12 anos, precisam ter pelo menos 40 kg.

Desenvolvido pela companhia ViiV Healthcare, parte da farmacêutica britânica GSK, o remédio leva o nome de Dovato. “Ele reduz a quantidade de antirretrovirais usados pelos pacientes por possuir apenas duas medicações, enquanto ainda mantém a eficácia e a alta barreira à resistência de regimes tradicionais com mais medicamentos”, afirmou a GSK, em nota.

No Brasil, os antirretrovirais são distribuídos de forma gratuita desde 1996. Desde 2013, o Sistema Único de Saúde (SUS) garante este tratamento para todos cidadãos que convivem com o HIV, independentemente da carga viral que apresenta. O Ministério da Saúde disponibiliza 19 medicamentos em 34 apresentações farmacêuticas.

Saiba qual é o diferencial do novo remédio contra o HIV

Segundo o médico Rafael Maciel, gerente médico da GSK/ViiV Healthcare, a fórmula do novo medicamento garante a “manutenção da eficácia, com menor utilização de medicamentos e menor potencial de toxicidade”.

“Hoje, muitos tratamentos para o HIV de um único comprimido têm pelo menos 3 medicamentos diferentes combinados. Já o Dovato fornece resultados expressivos com apenas dois medicamentos em um comprimido, demonstrando através de estudos ser igualmente tão eficaz quanto tratamentos para o HIV com 3 ou 4 medicamentos”, explicou.

Pessoas com HIV têm mesma expectativa de vida de quem não tem

Segundo levantamento da UNAIDS (programa das Nações Unidas) 37,6 milhões de pessoas vivem com HIV no mundo. Já pelo Brasil, o Ministério da Saúde estima que o número chega a 936 mil.

O HIV atinge as células do sistema de defesa que se chama CD4. Com isso, as pessoas ficam mais vulneráveis a outros típos de vírus, bactérias e câncer também. No entanto, é importante reforçar que pessoas com HIV tem a mesma expectativa de vida de quem não tem.

1º de Dezembro é o Dia Mundial de Luta contra a Aids

Há cerca de 40 anos, o primeiro paciente com o vírus no mundo foi descoberto e, a partir daí, pesquisas científicas se mantêm vivas na incansável busca para controlar este agente infeccioso. O Dia Mundial de Luta contra a AIDS é uma forma de apoiar as pessoas que estão nesta luta e compreender que este vírus é um problema de saúde pública que atinge o mundo todo.  

Ainda existe muito trabalho a se fazer para combater o preconceito e acabar de vez com essa infecção. No entanto, com o avanço das pesquisas e os medicamentos desenvolvidos ao longo desses anos, houve uma contribuição significativa para que tabus fossem quebrados na sociedade.

Foto de capa: Divulgação/ Pexels

CURTIU? COMPARTILHE AQUI

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Redação Alexandrismos

Redação Alexandrismos

Somos uma equipe de profissionais e colaboradores empenhados em transformar através da informação e da diversidade. Enquanto veículo, queremos construir uma nova forma de dialogar na internet sobre #CorpoLivre.

publicidade