Bom dia, boa tarde, boa noite, ou seja lá a hora que você estiver lendo isso :)

Amanhã é outro dia: leia a coluna de Carol Elisa

“Amanhã é outro dia”: a serenidade de um dia seguinte

"Acabou de se dar conta que investiu sua preciosa energia no lugar errado? Respire fundo, amanhã é outro dia". Leia mais na coluna de Carol Elisa!

publicidade

publicidade

“Amanhã é outro dia”: a serenidade de um dia seguinte

"Acabou de se dar conta que investiu sua preciosa energia no lugar errado? Respire fundo, amanhã é outro dia". Leia mais na coluna de Carol Elisa!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Amanhã é outro dia: leia a coluna de Carol Elisa

publicidade

publicidade

Em minha prática clínica, muitas pessoas chegam até mim perguntando: “Carol, qual a razão de isso estar acontecendo em minha vida?”. Eu mesma já me fiz essa pergunta tantas vezes. Mas, hoje, não mais. Aprendi que tudo tem uma razão de ser e, embora isso pareça óbvio, substancialmente, percebo que as coisas que me acontecem, para o bem e para o mal, têm muito mais relação com as minhas escolhas do que com projeção de sorte, alguma bênção dos deuses ou algo do tipo. 

Nada é tão especial quanto a paz de espírito. Por isso, quando não estamos tão bem, o que ocorre de negativo ao nosso redor faz um baita rebuliço dentro da gente. Mas, quando estamos nos sentindo em paz, qualquer negatividade que por vezes nos cerca acaba sendo invalidada com nossa boa energia. 

O melhor termômetro para avaliarmos de qual lado geralmente estamos é observando o que temos emitido, não apenas aos outros, mas, sobretudo, a nós mesmos. Observar o reflexo das nossas atitudes e escolhas. Por isso, repare: é pesado ou leve? Barulhento ou tranquilo? Faz mal ou faz bem? Traz desânimo ou alegria? De que forma temos nos deixado influenciar: pela dor ou pelo amor?

Conseguimos respeitar o tempo do outro? E o nosso? Como lidamos com nossas escolhas? Quem, de fato, são nossos amigos e como temos nos relacionado com eles? Tens ligado para a família? Do que tua esposa, marido, namorada (o) mais reclama sobre você? Se reclama, faz mesmo sentido? No trabalho, por que te procuram? Aliás, qual é teu diferencial, profissionalmente falando? Quem somos nós, afinal? O que estamos emitindo? Quanto isso tem influenciado em nossos dias? 

São muitos os questionamentos. De toda forma, há outro que norteia todas essas interrogações acima: Estou direcionando minha preciosa energia para o lugar certo? Falo isso porque, muitas vezes, investimos nossa energia no lugar errado. Mas como saber se estamos direcionando nossa energia para o lugar errado?  

Eu não tenho essa fórmula, não é como uma receita de bolo. No entanto, sei que, quando o caminho é leve, a sensação que se tem é de estar indo para o lugar certo. Logo, tudo isso certamente é guiado por nossa melhor energia. As coisas vão começando a se encaixar. Pronto. Creio que seja isso: sabemos que estamos investindo a energia no lugar certo quando as coisas começam a se encaixar, de tal forma que nosso coração se sinta acolhido e  sossegado. Tem que ser leve. Dietas restritivas não são leves, mas isso você já sabe, não é mesmo

Uma das melhores sacadas da vida é que ela nos dá a possiblidade de termos um dia seguinte para tudo. Ficou triste? Amanhã é outro dia. O trabalho estressou? Não te preocupes, amanhã é outro dia. Acabou o namoro/noivado/casamento/caso? Amanhã é outro dia. A reforma da casa está demorando? Amanhã é outro dia. Precisa tomar aquela decisão, mas hoje não está bem para pensar nisso? Amanhã é outro dia.

Expectativas frustradas? Não há garantias de nada, mas apenas de que amanhã é outro dia. Expectativas superadas? Amanhã é outro dia. Não consegue olhar para o espelho hoje? Tudo bem, amanhã é outro dia. Perdeu a paciência com as crianças e disse coisas que não queria? Peça desculpas e saibas: amanhã é outro dia. Sente-se improdutiva? Amanhã é outro dia. Acabou de se dar conta que investiu sua preciosa energia no lugar errado? Respire fundo, amanhã é outro dia.

Que belo é viver quando conseguimos alcançar a serenidade de um “dia seguinte”. Ele fica lá, guardadinho, esperançoso, sem alardes, esperando para acontecer. Mas, ainda bem que somos seres pensantes, racionais, capazes de perceber que o dia de amanhã só chegará mais bonito se nos permitirmos viver o hoje com mais presença, investindo nossa energia no lugar certo. No mais, é respirar fundo e acreditar: amanhã é outro dia.

Foto de capa: Unsplash

CURTIU? COMPARTILHE AQUI

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Carol Elisa Silva

Carol Elisa Silva

Um bom vinho, trocas, silêncios, vulnerabilidades e aprendizados. Em constante transformação, abro e fecho ciclos, respeitando os fluxos naturais da vida e controlando somente o que é possível. E é encarando as tretas da minha vida com leveza que eu me transformo e te ajudo a se transformar também.

publicidade