Bom dia, boa tarde, boa noite, ou seja lá a hora que você estiver lendo isso :)

Influenciadores com deficiência para conhecer e seguir

6 influenciadores com deficiência que você precisa conhecer e seguir!

Pessoas com deficiência vivem uma constante luta em busca de representatividade. Na internet, influenciadores mostram que têm espaço para todo mundo. Veja perfis para inspirar!

publicidade

publicidade

6 influenciadores com deficiência que você precisa conhecer e seguir!

Pessoas com deficiência vivem uma constante luta em busca de representatividade. Na internet, influenciadores mostram que têm espaço para todo mundo. Veja perfis para inspirar!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Influenciadores com deficiência para conhecer e seguir

publicidade

publicidade

Como é ser uma pessoa com deficiência na sociedade? Se você não é, provavelmente não deve reparar nos acessos a locais públicos e privados. Além disso, também não deve notar se a comunicação é feita em libras, linguagem de sinais ou com legendas. Da mesma forma, não deve sofrer preconceito com a sua aparência, com seu jeito de se locomover ou de falar. Já para quem enfrenta tudo isso, a ausência de direitos básicos é uma luta constante. Por isso, influenciadores com deficiência mostram que sim, essas pessoas existem, resistem e merecem representatividade, como todos os corpos!

No entanto, felizmente o cenário vem mudando nos últimos tempos. Discussões sobre capacitismo, ou seja, preconceito direcionado a PcDs (sigla para Pessoas com Deficiência), vêm ganhando a internet. Graças às redes sociais, falar sobre inclusão também está se tornado cada vez mais constante, para conscientizar sobre os estereótipos que pessoas com deficiência ainda carregam.

Pessoas com deficiência: falta de representatividade no mercado de trabalho

De acordo com Dados do IBGE de 2019 , 45 milhões de pessoas no Brasil possuem alguma deficiência, totalizando 25% da população brasileira. No entanto, essas pessoas não estão ocupando lugares importantes na sociedade para defesa de seus direitos e luta por mais acesso. 

Além disso, segundo o Estadão, apenas 440 mil pessoas com deficiência estão incluídas no mercado de trabalho formal. Mas esses dados não batem com a Lei nº 8.213/91, em vigor há mais de 30 anos. Ela garante que ao menos 2 a 3% do quadro de funcionários seja composto por pessoas com deficiência. Portanto, a empregabilidade ainda não é uma realidade. 

Influenciadores com deficiência para você conhecer e seguir!

Para mudar essas estatísticas, influenciadores com diferentes tipos de deficiência mostram que têm espaço para todos. Além disso, ser influencer também é um tipo de trabalho. Ou seja, quanto mais visibilidade esses perfis tiverem, mais oportunidades para os criadores de conteúdos. Então, confira 6 perfis na internet que se dedicam a quebrar padrões capacitistas, sejam eles conscientes ou não. Não deixe de olhar, seguir e incentivar o conteúdo produzido por eles!

1) Leandrinha Du Art (@leandrinhadu)

Militante, feminista e mulher trans, Leandrinha Du Art fala sobre sexualidade dentro e fora da comunidade PcD.

2) Eduardo Vitor (@oeduardovictor)

Dudu, como gosta de ser chamado, é LGBT e fala abertamente sobre paralisia cerebral. Também são assuntos no seu Instagram e Twitter assuntos como autoestima, aceitação e afetividade.

3) Lelê Martins (@blogueirapcd)

Lelê é uma mulher negra, cientista social e moradora do Rio de Janeiro. Em seu perfil, fala sobre moda, comportamento e autocuidado. Ela usa suas redes para falar ainda sobre como é ser uma pessoa com deficiência. 

4) Victor Di Marco (@victordimarco)

Victor é ator, roteirista, diretor, escritor. No seu perfil do Instagram, produz vários vídeos com reflexões sobre deficiência, capacitismo na sociedade e luta LGBT. 

5) Kitana Dreams (@kitanadreams)

Kitana é Drag Queen, maquiadora, youtuber. Entre os diálogos que propõe, está a luta pela disseminação da Língua Brasileira de Sinais.

6) Mariana Torquato (@marianatorquato)

A Mari é criadora do maior canal sobre deficiência no Brasil, o “Vai uma mãozinha aí?”. Com deficiência no braço, a influenciadora retrata com bom-humor e seriedade como é ser PcD.

É para seguir e OUVIR os influenciadores com deficiência

É essencial trazer assuntos e pessoas fora da sua bolha para o seu dia a dia. Além disso, também é importante entender um pouco mais das lutas pelas quais você não precisa lutar para sobreviver. Isso é uma forma de usar seus acessos e privilégios para que elas sejam cada vez mais fortes.

As pessoas sem deficiência também precisam entender o seu papel na luta anticapacitista, principalmente quando falamos sobre ações efetivas e quebra de preconceitos. Por isso, não basta só seguir os influenciadores. É necessário ouvir e adotar uma postura que combate os estigmas.

Mas também não deixe de curtir, comentar e compartilhar conteúdos de pessoas com deficiência e seja aliado da luta anticapacitista. No Movimento Corpo Livre, você também encontra uma curadoria de pautas e vários outros influenciadores que estão aí na atividade, lutando por um mundo mais inclusivo.

CURTIU? COMPARTILHE AQUI

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Redação Alexandrismos

Redação Alexandrismos

Somos uma equipe de profissionais e colaboradores empenhados em transformar através da informação e da diversidade. Enquanto veículo, queremos construir uma nova forma de dialogar na internet sobre #CorpoLivre.

publicidade